top of page
Weston_Logo_PNG-7.png

Novas publicações toda Segunda as 18:00hs Roqueiro | Mofado

Turnstile e o eterno loop de descobrir coisas novas no hardcore

Atualizado: 9 de jul. de 2022

Depois de um tempo ouvindo música barulhenta, é até meio comum não se surpreender com bandas novas ou com estilos diferentes. E isso vai desde o hardcore melódico até o grindcore mais visceral; porém, nunca é tarde pra descobrir e redescobrir novos sons.

Foi nesse pique que eu conheci a Turnstile. Aquele tipo de banda que você não distingue muito bem o estilo e quando vai mostrar pra os amigos não sabe bem dizer com qual outra banda se parece, saca?! Hardcore cru e melódico cheio de referências que vão desde o punkzão americano dos anos 80, passando pelo grunge do começo da década seguinte e tomando uns golinhos no indie de bandas que participaram da fase mais massa do estilo.

Olhando assim, parece até uma banda que toca músicas com a pegada mais oldschool, o que não é o caso aqui! A Turnstile mistura todas essas referências pra fazer um som com a maior cara de coisa nova, principalmente quando o assunto é o último álbum dos caras, Glow On, lançado agora em 2021.

Com 2 eps, Pressure to Succeed (2011) e Step 2 Rhythm (2013), que marcam a fase inicial numa pegada mais HCNY, e de bandas da conhecida cena ‘Youth Crew/Straigh Edge’, é a partir dos álbuns seguintes, Nonstop Feeling (2015) e Time & Space (2018), que novas influências começam a diferenciar ainda mais o som da Turnstile.

Tem groove, agressividade, algumas partes mais pesadas, mas no geral a praia aqui é o melódico. Não aquele com jeitão de adolescente americano abestalhado, mas aquele sofrido, sangrado e reconfortante que te faz querer andar de skate, fumar um baseado na beira da praia ou simplesmente pogar como a última alternativa para colocar pra fora as bads da rotina e de mais uma semana de trabalho.

E no álbum novo? Foi aí que os caras viajaram meeeesssmo! Um vibe que lembra umas paradas da Refused com umas pitadas de At The Drive In e Black Flag misturado com Nirvana. Na minha cabeça doida, lembrei até de um Rage Against The Machine e umas coisas do rock brasileiro da sua fase mais expressiva. Diga aí!!!! Né viagem não, ouve lá e fala tu!

É nesse pique que a banda deu uma certa ‘estourada’ atualmente com o lançamento de 3 clipes ligados por um só vídeo que eles batizaram com o nome de "TURNSTILE LOVE CONNECTION" (que também é o nome por extenso de uma das músicas que ganhou o título de TLC). Uma prévia do que viria no álbum novo e o pontapé inicial de uma nova fase da banda que já passou a incluir novas datas no calendário, agendou uma turnê na Europa e vem marcando espaço em grandes festivais dos Estados Unidos, como o já popular KnotFest, que por sinal desembarca no Brasil no próximo ano.

E por falar em clipes, esse é um dos diferencias da Turnstile, que trabalham muito bem a parte audiovisual da banda e se sobressaem com sacadas interessantes e imagens muito bem captadas e produzidas que se misturam com belas cenas do show dos caras entre moshs, pogo e a banda descendo a lenha ao vivo.

Dá um confere na discografia e nos clipes dos caras (eu achei no YouTube) e tira tuas próprias conclusões.

Luiz Bzg::


 




23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Post: Blog2_Post
bottom of page